quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Layout novo

Estava cansada do layout do A Hora do Arroto. Aquela fraldinha não tem nada a ver mais. Então resolvi colocar os objetos que estão mais presentes no universo de Cacá. Sim, só do meu Caio, porque as outras colaboradoras não deram o ar de suas graças.


Quando digo "resolvi colocar", é porque eu mesmo resolvi e coloquei. Porque sou mãe, mas também profissional da área, né?

Os objetos

Segue uma explicação da presença de cada coisinha aí em cima. Vai que você se inspira para presentear seu filhote também...

Bobbinho - O boneco estiloso e rastafári é Bob. Caio só chama o boneco de Bobbinho. Dança com ele, dorme com ele, tira a roupa pra ver se fez cocô. O bom da presença de Bobbinho é que se precisa tomar remédio, Bobbinho bebe primeiro; se não quer comer tudo, ele dá um incentivo. Bobbinho é um exemplo de rapaz. Presente da vovó e custou cerca de R$ 40.

O bumbá - Ganhou o tamborzinho de presente - da tia ou da vó, uma das duas. Em referência à zabumba do tio, chama o brinquedo de bumbá. Acorda tocando bumbá, corre pra buscar para acompanhar os musicais da TV. Aliás, Caio batuca em qualquer coisa que encontra pela frente.

O violão - Um dos brinquedos preferidos. Tem ciúme do "vioião", toca altas músicas com ele. Geralmente é um dos primeiros brinquedos que pega quando acorda. Presente da vó ou da tia - uma das duas.

Hugo, Dogão e Boi - Na verdade são os DVDs dos filmes "Hugo - O Tesouro da Amazônia"; "Dogão - Amigo pra Cachorro" e "O Segredo dos Animais". Conheço todas as falas, todos os personagens, todas as músicas, todos os detalhes de cada filme. Já assistimos cada um dezenas de vezes. Ainda menorzinho, já pedia pra colocar um dos filmes. E sempre teve medo dos vilões de cada um.

Hugo é um animal ultra-raro tentando voltar para a selva - que não tem nada a ver com a Amazônia. Dogão é um cachorro medroso que precisa salvar a melhor amiga e o mundo todo de serem congelados - tem referências a vários filmes, como Matrix e Velocidade Máxima, entre muitos outros. O Boi é Otis, um bezerro fanfarrão que precisa virar adulto - é o melhor na minha opinião, tem a música que Cacá mais gosta, tudo certo. A não ser pelo fato de os bois terem tetas.

Fuquinha - O Fusca branco abre as portas e o capô, acende luzinhas, toca musiquinha e roda a casa toda. Nem precisa dizer que ele adora o presente que a tia Ana Paula deu, né? Por falar nisso, ele reconhece e aponta todos os Fuscas que vê pela rua. Não há quem não note, tamanha gritaria que ele apronta: "Fuqinha, mamãe, Fuquinha. Olha o Fuquinha, papai. Fuquinha, tanan nan, Fuquinha, tanan nan!" A mesma coisa com as vans, que ele chama de "Tombi".

A bicicleta - Olho brilhando, sorrisão e a vozinha: "Biiqueeeeta!" Foi assim a reação quando viu o presente de Natal da Vó (mas que vó é essa, hein?). Às vezes, para comer tem que ser em cima da bicicleta. Já sabe subir, pedalar e descer, além de fazer a "cuva". De vez em quando pede: "azuuuda, mamãe". Mas a bicicleta fica na casa da vovó, porque aqui no ap não tem espaço. Se estiver pensando em comprar para um criança da mesma idade (1 ano e 7 meses no momento), vai fundo - meu Cacá a-do-ra!.

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

O tempo

Cara, o último post foi sobre festejar o aniversário e eu já estou pensando no próximo. É que o A Hora do Arroto ficou meio (?) de lado...

Bom, agora que estou de férias, tenho internet em casa e o filhote foi passear com o papai, volto aqui. Pra dizer que meu filho tá lindíssimo, que já sabe falar e conversa com mamãe, que anda, corre, sobe nas coisas e anda de bicicleta!

Dizer que estou sem babá desde setembro, que não quero mais babá, que estou trabalhando à tarde e que meu pai e minha mãe ficam com meu filho enquanto isso. Eles ficaram com pena de deixar o neto ir para a creche e propuseram mudar suas rotinas pra ficar com ele. Eu? A-do-rei!

Para não ficar parecendo avaliação do ano que passou, sem deixar de ser, seguem três dicas:

- Coloque grade de proteção nas suas janelas. Isso dá uma tranquilidade bacana.
- Compre (ou ganhe, como foi meu caso) uma cadeirinha de biclceta e vai dar umas voltas com o filhote e o marido. Delícia!
- Assine uma revista sobre filhos. Eu assino a Crescer. Pelo menos, você fica sabendo que suas dúvidas e neuras são comuns.

sábado, 11 de julho de 2009

Aniversário: Festejando

Ih! Já passou um tempão, mas tá valendo. A festa de Caio foi ótima. A decoração ficou linda, a mesa do bolo e das guloseimas também. As pessoas se divertiram - eu, Dudu e meu rapaz inclusive! A gente até improvisou um forró, rsss.

As lembranças foram disputadas, mas eram em quantidade suficiente. Os bloquinhos com imagens para colorir fizeram um sucesso que eu não esperava. E as sacolinhas agradaram bastante.

"Recebemos" muitos presentes - muitas roupas (oba!) e muitos brinquedos também. Tantos que eu guardei alguns, para ir dando aos poucos. Muito engraçadinho ver meu rapazinho, dando os primeiros passos cambaleantes, com os embrulhos de presente na mão, indo guardá-los direto na caixinha. O problema é que, depois disso, todos os pacotes de presente que ele vê, pensa que são dele...

Os bombons que ganhamos (confira no post abaixo), não chegaram a ir para a festa. É que Dudu experimentou um e achou tão bom que não quis cometer um "desperdício": "Criança não sabe apreciar isso. São bombons finos, bons demais. Elas vão jogar no chão, como fazem com um doce qualquer. Não, nada disso, deixa aqui!" Resultado: Passamos mais de uma semana comendo bombons finos...

Só dois pontos me desagradaram, me deixaram nervosa, mas não conseguiram me abalar. Primeiro o bolo - apesar de lindo e gostoso, achei pequeno. Em segundo lugar - mas muito mais grave - as mesas. O cara me garantiu que levaria lá, e não chegava. Fui buscar e a senhora que me atendeu disse que não sabia de nada. O telefone do cara não funcionava - e eu espumando pela boca. No final, a festa rolou sem as mesas!!!

Depois encontrei o sujeito na rua e disse umas verdades pra ele - de cima do salto, mas disse. "Nunca aconteceu isso comigo antes, juro! As mesas já estavam em cima do carro, mas eu esqueci". Sei. Nunca aconteceu antes. A desculpa mais esfarrapada de todos os tempos.

Sorte que, como a festa foi na casa da minha mãe, usamos todas as cadeiras, poltronas e sofás disponíveis. E meu irmão conseguiu umas mesas de apoio...

De resto, tudo lindo. Família ajudando e se divertindo junto. Ano que vem tem mais, graças a Deus!!

Parabéns pra você! (olha que carinha mais fechada...)


Na hora de soprar a vela, abriu o sorrisão. Detalhe das lembrancinhas no canto inferior esquerdo.

Cortando o bolo. Os leões em cima do bolo são de biscuit. Bichinhos de pelúcia enfeitaram a mesa. E as sacolinhas (verdes com carinha de leão) fizeram sucesso!


Burp!

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Aniversário - Planejando IV

De ontem pra hoje, algumas coisas foram resolvidas:


Já encomendei os doces

Reservei mesas e cadeiras (mais uma troca de serviços, oba! Vou ajudar o cara que aluga as mesas com uns trabalhos de comunicação)

Comprar refrigerantes (Vovô Valmir - meu pai - já deu de presente. Beleza!)


O resto falta. Ainda!


Burp!

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Aniversário - Planejando III

Já foi feito:

Convites criados, impressos e distribuidos (alguns sendo distribuidos ainda!)
Bolo encomendado
Salgados encomendados
Lembrancinhas prontas
Decoração pronta
Balas e outros doces comprados

Falta:
Encomendar doces
Reservar mesas e cadeiras
Comprar refrigerantes
Montar as sacolinhas
Fazer vídeo com fotos (não sei se vai dar tempo, mas como sou eu que faço, posso virar uma noite)
Gravar clipes musicais
Imprimir painel com foto
Imprimir bloquinho para colorir

Ufa!!


Burp!

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Aniversário - Planejando II

Lista de convidados pronta (nossa como a gente conhece gente!!). É hora de botar a mão na massa.

As lembrancinhas serão feitas em biscuit. O bom é que eu vou trocá-las por fotos. O velho sistema de permuta é ótimo nessas horas: tiro fotos de Rebequinha e a mamãe Sany faz as lembrancinhas pra mim.

Com a devida assessoria da Tia Sheu fui comprar os preparativos para a festa - Sacolinhas, pratinhos, copos, balas, enfeites, etc, etc, etc (e ponha etc nisso, afffe!)

Agora estou pesquisando onde encomendar o bolo e os salgados. Ahá!! Também ganhei os bombons no mesmo esquema de permuta (troca, escambo - como você preferir...) Tirei fotos de Nivinha e a mamãe Mariluse vai me dar os bombons....

Dicas - Faça um check-list -- Tenha uma pessoa mais experiente para falar de quantidades -- Pesquise na internet -- Saiba fazer algo que possa ser trocado -- Tenha paciência -- Guarde uma graninha com antecedência.

.

Burp!

quarta-feira, 11 de março de 2009

Aniversário - planejando

O tempo voa... Meu rapaz já vai completar 01 aninho.

Comecei a pensar na sua primeira festinha de aniversário. Vai ser para poucas pessoas, já que ele ainda não curte multidão.

Pensei em diversos temas: Os Incríveis, fundo do mar, Homem-Aranha, circo. Dizem até que o primeiro aniversário deve ser de circo, para dar sorte. Ô povo que inventa coisa!

Como não acredito nessas teorias, resolvi criar um tema que já tenha a ver com ele: bichos selvagens da savana Africana. Não! Meu filhote nunca saiu em safári! É que o kit do berço dele tem esses bichinhos e até a decoração do quarto (feita pela tia-madrinha Sheu) segue a mesma linha.


Já tô com ideias para enfeitar a mesa, para as lembrancinhas... Inclusive, já fui pesquisar os preços das lembranças. As personalizadas devem ser encaminhadas com antecedência.


Agora é tratar de fazer a lista de convidados, afinal, tudo depende de quantas pessoas vão.

Até o próximo capítulo!



Burp!



terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Bebês e trabalho

Como é difícil sair para o trabalho e ter que deixar o bebê. É de partir o coração quando ele faz aquela carinha de choro, ou pior, quando balbucia mamã, mamã...
Tá certo! Não dá pra abrir mão da vida profissional - até por que você precisa dos $$ para cobrir as despesas com o filhote. Mas, falando sério, se eu tivesse muita grana, só trabalharia por prazer - e escolheria um trabalho no qual eu estivesse com meu rapazinho o tempo todo.

Sobre isso, achei um trecho interessante de uma matéria na internet:

"É comum as mães se culparem e acharem que estão abandonando a criança quando voltam ao trabalho. Nessa hora, segundo [a psicologa] Juliana Potter, a mulher deve se lembrar de que o mais importante não é a quantidade, mas a qualidade do tempo que ela passa com o pequeno. 'Uma mãe que fica em casa com os filhos, sentindo-se culpada por ter abandonado sua vida profissional e até pessoal, certamente não estará disponível para dar à criança o afeto de que ela necessita', argumenta a psicóloga."

O artigo inteiro está aqui.

Aí vem outra questão: como é difícil arrumar uma babá! Meu Deus do céu. Isso é de tirar o sono. Meu Caio ainda vai completar oito meses e nós já estamos na terceira babá. As únicas coisas que funcionam são: deixar bebê e babá com alguém da família nos primeiros tempos (você fica mais tranquila, o bebê se adapta aos poucos e a babá pega o ritmo); e prestar sempre muita atenção aos sinais que a criança emite. Já aconteceu de Caiozinho chorar muito na hora de mamãe sair e não querer ir com a babá de jeito nenhum. Nessa hora, ir para o trabalho nos faz sentir realmente culpada - já fui até chorando....

O fato é que a gente tem que aproveitar muito o tempo que passamos juntos. E ligar diversas vezes do trabalho pra casa, por que ninguém é de ferro...



Burp.


sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Independência

Na semana em que completou sete meses, Caiozinho deu seus primeiros passeios independentes pela casa. Engatinhando ou arrastando - cada pessoa da família fala de um jeito - o fato é que meu rapaz não pára mais quieto em lugar nenhum. O vídeo abaixo registra alguns dos primeiros "passos". É, porque tem gente que não acredita!


video

Hoje os passeios estão bem mais firmes e velozes.

Além disso, meu filhote já tem um dente e meio - o outro está apontando agora. E, pasmem, já fala mamãe, papai, babá ("Bárbara", a menina que cuida dele) e naná ("me dá de mamar que eu estou com fome ou quero dormir", em tradução livre.)

Muito importante ressaltar que a primeira palavra que ele disse foi "mamãe". Sempre achei injusto carregar o bebê por nove meses, parir, se lascar toda pra dar de mamar e todos os outros etcs, para o bebê chamar "papai" primeiro. Caio logo aprendeu falar "papai" também, mas foi "mamãe" a primeira palavra que ele pronunciou com sentido e intenção.


Esse é o meu garoto!




Burp!





.