terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Bebês e trabalho

Como é difícil sair para o trabalho e ter que deixar o bebê. É de partir o coração quando ele faz aquela carinha de choro, ou pior, quando balbucia mamã, mamã...
Tá certo! Não dá pra abrir mão da vida profissional - até por que você precisa dos $$ para cobrir as despesas com o filhote. Mas, falando sério, se eu tivesse muita grana, só trabalharia por prazer - e escolheria um trabalho no qual eu estivesse com meu rapazinho o tempo todo.

Sobre isso, achei um trecho interessante de uma matéria na internet:

"É comum as mães se culparem e acharem que estão abandonando a criança quando voltam ao trabalho. Nessa hora, segundo [a psicologa] Juliana Potter, a mulher deve se lembrar de que o mais importante não é a quantidade, mas a qualidade do tempo que ela passa com o pequeno. 'Uma mãe que fica em casa com os filhos, sentindo-se culpada por ter abandonado sua vida profissional e até pessoal, certamente não estará disponível para dar à criança o afeto de que ela necessita', argumenta a psicóloga."

O artigo inteiro está aqui.

Aí vem outra questão: como é difícil arrumar uma babá! Meu Deus do céu. Isso é de tirar o sono. Meu Caio ainda vai completar oito meses e nós já estamos na terceira babá. As únicas coisas que funcionam são: deixar bebê e babá com alguém da família nos primeiros tempos (você fica mais tranquila, o bebê se adapta aos poucos e a babá pega o ritmo); e prestar sempre muita atenção aos sinais que a criança emite. Já aconteceu de Caiozinho chorar muito na hora de mamãe sair e não querer ir com a babá de jeito nenhum. Nessa hora, ir para o trabalho nos faz sentir realmente culpada - já fui até chorando....

O fato é que a gente tem que aproveitar muito o tempo que passamos juntos. E ligar diversas vezes do trabalho pra casa, por que ninguém é de ferro...



Burp.


sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Independência

Na semana em que completou sete meses, Caiozinho deu seus primeiros passeios independentes pela casa. Engatinhando ou arrastando - cada pessoa da família fala de um jeito - o fato é que meu rapaz não pára mais quieto em lugar nenhum. O vídeo abaixo registra alguns dos primeiros "passos". É, porque tem gente que não acredita!


video

Hoje os passeios estão bem mais firmes e velozes.

Além disso, meu filhote já tem um dente e meio - o outro está apontando agora. E, pasmem, já fala mamãe, papai, babá ("Bárbara", a menina que cuida dele) e naná ("me dá de mamar que eu estou com fome ou quero dormir", em tradução livre.)

Muito importante ressaltar que a primeira palavra que ele disse foi "mamãe". Sempre achei injusto carregar o bebê por nove meses, parir, se lascar toda pra dar de mamar e todos os outros etcs, para o bebê chamar "papai" primeiro. Caio logo aprendeu falar "papai" também, mas foi "mamãe" a primeira palavra que ele pronunciou com sentido e intenção.


Esse é o meu garoto!




Burp!





.